quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Ficha Limpa e Ricardo Teixeira

Ricardo Teixeira está no comando da CBF desde 1989


















Hoje saberemos se o Ficha Limpa existe ou se é mera intenção de uma noite de verão. 
A imprensa destacou o voto favorável da ministra Rosa Weber, no julgamento em andamento no STF. Era, de fato, uma incógnita e se os ministros mantiverem seu voto anterior, o Ficha Limpa começa agora. Meu destaque, contudo, fica por conta do voto de Dias Tofolli. Voto de consciência, mas minha mãe diria que ele está querendo ser "mais realista que o rei". Sua indicação, por Lula, criou alguma conturbação, lembremos.
Talvez tenhamos que seguir nossa sina de criar milhares de leis para regular o óbvio. Se conseguirmos a obviedade do Ficha Limpa, teremos que dar mais um passo, logo em seguida. Parece que hoje, Ricardo Teixeira, o coronel do futebol tupiniquim, se afastará da CBF ap[os 23 anos mandando e desmandando no nosso futebol. Romário, o deputado, solicitou intervenção federal na CBF e descortinou a gravidade da situação. Por que cenas tão dramáticas neste momento? Porque agora o cerco está se fechando rapidamente. Ricardo Teixeira estaria envolvido com o superfaturamento do amistoso entre seleção brasileira e a portuguesa, em novembro de 2008. Uma das acusadas de superfaturar o amistoso, Vanessa Precht, emitiu cheques nominais no valor de R$ 10 mil para o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, segundo a Folha de S. PauloOs cheques, apreendidos pela Polícia Civil de Brasília no ano passado, seriam pagamento pelo arrendamento de uma fazenda do cartola, a Santa Rosa 3, à empresária, em acordo válido por cinco anos - no total, Teixeira receberia R$ 600 mil. Funcionários do local, porém, negam que na fazenda houvesse outro administrador além do dirigente da CBF.
Hoje, talvez, o STF abra o caminho para criarmos mais algumas Fichas Limpas.
Se 

Um comentário:

Júnior ... Eskelsen D. disse...

" Talvez tenhamos que seguir nossa
sina de criar milhares de leis
para regular o óbvio."

A frase do ano. Cada categoria
gosta de transformar sua área num
labirinto para impressionar e
complicar os observadores, escrevem
miríades sobre pequenas coisas para
engrandecer seus ofícios.

O pior de tudo é a impunidade e o comporativismo das entidades de classe.